sábado, 26 de novembro de 2016

CENTENÁRIO DO SAMBA ABRE ALAS NOS TRILHOS DA PERUS-PIRAPORA

TREM DAS ONZE DE ADONIRAN BARBOSA NA PERUS-PIRAPORA



Consagrada na festejada letra de Adoniran Barbosa, “Trem das Onze”, a antiga Tramway da Cantareira encerrou suas atividades no início da década de 60 do sécula passado e parte de seu acervo de material rodante terminou na coleção da Perus Pirapora, dentre elas as Locomotiva numero 1, 15,16 e 17, conforme nossos ilustres associados pesquisadores, Nilson Rodrigues, Nelson Camargo e Elcio Siqueira.

O Samba tal como ficou conhecido no Brasil fez 100 anos neste 26 de novembro de 2016 e por conta disso o legado da Tramway da Cantareira na EFPP mais uma vez é lembrado para inspirar a Memória dos amantes da boa música brasileira de raiz.

Hoje Adoniran faz festa “lá no alto” com pelegos e queixadas, das antigas minas e caieiras de “Gato Preto”, da “Fábrica de Cimento Perus” e da Ferrovia Perus-Pirapora,  muitos já não estão entre nós, mas todos com certeza oram por nós, torcendo pela revitalização da EFPP como Ferrovia-Parque-Museu para resgatar e preservar esta memória e história digna e inspiradora das Marias-fumaça.

Locomotiva 17 - Ex-Tramaway da Cantareira - desde 1961 na EF Perus Pirapora -
Foto livro de Nicolas Burmann
A TVGlobo, através da equipe do Programa Antena Paulista, produzido e ancorado pelo experiente e renomado repórter e jornalista Carlos Alberto Tramontina, preparou uma bela reportagem que foi ao ar em 27/11/2016, para comemorar o Centenário do Samba, tendo como ícone Adoniran e o “Trem das Onze”, simbolizado pelas Marias-fumaças que hoje aguardam parceiros para o seu restauro na EFPP.


O Repórter Carlos Tramontina-Antena Paulista - gravando na EFPP - nov/16
Assista a reportagem no link https://globoplay.globo.com/v/5477713/?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar ou procure pelo Programa Antena Paulista de 27/11/2016 no google e curta a emocionante matéria, que no dia de hoje já conta com mais de 1.000.000 de curtidas e milhares de compartilhamentos. Venha conosco participar desta história, colaborando e ajudando a recuperar e preservar a Memória do Povo Paulista e do seu patrimônio material, documental e arqueológico industrial. 

Obrigado Tramontina e toda Equipe da TVGlobo, Programa Antena Paulista, e das suas afiliadas, pela iniciativa, que coopera com a mobilização de esforços em prol da recuperação do acervo da antiga EFPP e da extintaTramway da Cantareira.

CRESCE PROCURA POR VISITAS AO MUSEU A CEU ABERTO COM PASSEIOS DE MARIA FUMAÇA NA PERUS-PIRAPORA

 ECO-MUSEU FERROVIÁRIO DA EFPP GANHA NOVOS VISITANTES


A falta de opções diferenciadas de lazer na Macro Região Metropolitana de São Paulo e especialmente na Zona Norte paulistana, tem feito crescer, desde dezembro de 2015, a procura por reservas de visitação ao museu a céu aberto com passeios de maria fumaça na Perus-Pirapora, quando começaram gradualmente a retomar as atividades abertas ao público.

Realizadas ao menos uma vez ao mês devido a carência de recursos para profissionalização do trabalho, que depende do esforço de dezenas de voluntários, espera-se que em 2017 novos parceiros ou investidores cooperem para a melhoria da infra-estrutura para receber melhor receber os visitantes e turistas, permitindo uma abertura regular do Museu.

Uma outra atividade da EFPP em parceria com a Tour Jundiahy  que vem crescendo é o Ferro Trekking / Passeio de Maria-fumaça - http://www.tourjundiahy.com.br/produto/ferrotrekking-passeio-de-maria-fumaca/   - ou Perus-Pirapora-a-Pé, que reúne turistas ou simplesmente  amantes da prática de caminhadas temáticas que fazem mensalmente o trajeto entre a Estação de Perus da CPTM e o Museu da EFPP, no Pátio do Corredor/ Estação Ecologia, com cerca de 10 Km ida e volta. Muitos optam pela volta na Maria-fumaça.

A PP também vem recebendo um número cada vez maior de amantes do ciclismo de aventura, que estão sendo convidados a organizarem um Clube de Ciclistas Amigos da Perus Pirapora, para criação de um roteiro apropriado para a atividade, evitando conflitos com os vizinhos e dando mais segurança em relação à operação ferroviária, para que também possam cooperar na conservação do patrimônio e no investimento em receptivos de interesse comum. 

TURISTAS ILUSTRES REVISITAM A PERUS-PIRAPORA

PRESERVACIONISTAS INGLESES VISITAM ANUALMENTE A EFPP

Em outubro/16 a Perus Pirapora voltou a receber a ilustre visita de preservacionistas do patrimônio arquelógico industrial ferroviário e turistas britânicos.
Bonfilio Alves e Raquel Ferreira do IFPPC ladeados pelos visitantes britânicos 
A organização da visita é do ativista e parceiro Bruno Sanches, da ABPF Sul de Minas, e que também opera o Museu de Guararema, onde já acontecem passeios regulares desde 2014 - http://www.abpf.com.br/guararema/ .

A ação também acontece no âmbito do Programa “+Q2Museus” ou Museus em Rede,  que favorece a intervisitação museológica e o intercâmbio técnico  e cultural entre preservacionistas.

O evento contou também com a presença do Piero Somnberger, presidente da Associação de Desenvolvimento Turístico de Caieiras, cidade vizinha Amiga da EFPP, que disponibilizou tradutor a amigo mexicano Juan Antonio Soria Villanencio como intérprete voluntário para apoiar no receptivo dos visitantes. Também registrou presença o ferreomodelista e construtor de mini locomotivas a vapor chileno Alvaro Orrego Morandé.

CONVÊNIO VIABILIZA ESTUDOS E PROJETOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA PARA A RECUPERAÇÃO DE ACERVO DA EFPP

CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO ALAVANCA A REVITALIZAÇÃO DA EFPP

Antonio Cortez, da MIMF, ao lado do Dr. Bonfilio Alves e
Alex Gaudio da EFPP - posam ao lado da Locomotiva nº 10
já na fase final de restauro para fins museológicos.

Uma iniciativa do Ministério Público do Trabalho junto à empresa MIMF – Indústria de Material Ferroviário Ltda., está viabilizando um salto qualitativo e quantitativo inédito para o projeto de revitalização da antiga Estrada de Ferro Perus Pirapora.

O Convênio firmado entre as partes e pelo IFPPC permitiu a reversão de obrigações pecuniárias da citada empresa perante à PRT de Guarulhos em investimentos no Programa de Recuperação e Revitalização Patrimonial dos Km 2,4 (PN-Estação Mineral) ao Km 5 (PC-Estação Ecologia) da EFPP, tombado pelo CONDEPHAAT. Dentre as medidas previstas e incorporadas no Termo de Ajustamento de Conduta, estão itens como estudos de planejamento e desenvolvimento de projetos de arquitetura, engenharia civil, ferroviária e mecânica para atender as normas legais;  reforma e manutenção da plataforma ferroviária no citado trecho para atender a retomada das operações com segurança; doação de itens como materiais de fixação de trilhos/dormentes; restauro da locomotiva nº 10; manutenção e certificação de segurança mecânica e operacional das locomotivas 10, 2 e da Diema (que desde 2014 estava parada com sua transmissão mecânica avariada, dentre outros problemas); Estudos de Engenharia Ambiental e Inventário Florestal para licenciamento de supressão de vegetação em situação de risco para a operação ferroviária; e promoção de Programa / Projeto de Educação Patrimonial.
Ingresso de visitação à Expo Trem-Escola Perus-Pirapora - 2015

Após dois anos de trabalhos, a EFPP, o desafio de transformar uma  antiga ferrovia mineradora em um Museu começa a tomar forma no papel e em seu modo de operação.
Apesar de licenciada e construída para o transporte de passageiros desde 1910, a EFPP nunca teve Estações Ferroviárias como conhecemos nas demais ferrovias históricas, e se vocacionou para a logista mineradora durante toda a sua vida.
Agora, como resultado dos investimentos em estudos, projetos e obras de recuperação e manutenção realizados, esta velha mineradora, pela primeira vez em sua história, ganhou estudos de concepção e projetos de arquitetura e engenharia civil e ferroviária, assim como teve suas locomotivas operacionais laudadas com base em normas modernas de segurança  do material rodante a ser utilizado no funcionamento e operação da Ferrovia-Parque / Museu da Perus-Pirapora. As locomotivas 2, 8 e a Diema também passaram por manutenção e reformas, melhorando o seu desempenho e segurança.
lcomotivas Diema e 8 - com manutenção em dia, em operação no Pátio - Estação
Ecologia - sob o comando do Diretor de Operações Nelson Camargo, da EFPP/IFPPC.
 São vários os resultados e desdobramentos positivos do Convênio que  podem ser listados, mas o mais relevante foi a reabertura do Museu aos visitantes a partir do Projeto de Educação Patrimonial “Perus Pirapora em 4 Estações”, entre julho e novembro/15, que contou com o valiosa parceria do Anhanguera Parque Shopping de Cajamar, e a retomada gradual das Visitas Monitoradas com Passeios de Maria Fumaça no Museu a Céu Aberto Corredor / Estação Ecologia, que acontecem uma vez por mês, desde dezembro/15, só suspensas temporariamente entre março e julho devido à grande inundação sofrida pela EFPP em março/16. A gestão da execução dos projetos é feita em parceria de cooperação museológica e de gestão com o IPEH – Instituto de Pesquisas em Ecologia Humana, entidade co-fundadora do IFPPC.
Locomotiva nº 2 - Conservada e com manutenção em dia, grava para o Programa
Antena Paulista da TV Globo - Exibido em 27/11/16
Outros desdobramentos estão acontecendo em razão do fato de se chegar pela primeira vez (devido aos estudos de engenharia) numa planilha confiável com a apuração do valor correto para o restauro e revitalização do acervo patrimonial como Ferrovia-Parque-Museu, permitindo avançar o enquadramento dos projetos para Lei Rouanet / Proac, bem como facilitando tratativas com potenciais parceiros em negócios de interesse cultural, social, educacional, ambiental e de geração de empregos e renda, sem falar, é claro, na solução para os licenciamentos das obras e medidas de recuperação da plataforma ferroviária e solução de problemas de saneamento do rio Juquery junto aos órgãos públicos.


A eng. Raquel da Macaferri entrega Projeto das Contenções para os Diretores
do EFPP Eng. Altair Gonçalves Damasceno e Dr. Bonfilio Alves Ferreira. 
O Convênio ainda está instigando outras contrapartidas valiosas, como a doação pela empresa Macaferri, através do brilhante trabalho do Diretor do Departamento de Engenharia do IFPPC, Eng. Altair G. Damasceno, dos projetos das contenções das encostas e taludes erodidos da EFPP, e a inclusão do trecho da EFPP afetado pelas inundações recentes do rio Juquery no Programa de Desassoreamento do citado rio pelo DAEE, por determinação do Governador Geraldo Alkmin, a pedido do IFPPC.  

Os trabalhos de arquitetura e engenharia da EFPP realizados até agora estiveram a cargo dos Arq. João Valente Filho (in Memorian) e Vicente Bicudo (Eng. e Arq.), sob a coordenação do Eng. Altair Damasceno, Diretor do Depto. de Engenharia do IFPPC e a Engenharia Mecânica é coordenada pelo Eng. Pericles Gallo, Diretor do Depto. de Eng. e Manutenção da EFPP/IFPPC.

Gratidão dos Amigos e Colaboradores da Perus-Pirapora. A todos(as) o nosso Obrigado!!!

IFPPC, VOTORANTIM CIMENTOS E METALPLAN VIABILIZAM O RESGATE, GUARDA E CONSERVAÇÃO DO ACERVO DA RESERVA TÉCNICA DE GONDOLAS DE MINÉRIO TOMBADAS

PARCERIAS QUE SOMAM A FAVOR DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Numa ação conjunta, o IFPPC obteve o apoio da Votorantim Cimentos para o resgate e o transporte das Gondolas de Minério da EFPP, deixadas desde 1983 no Pátio da Mineração de Cajamar, época da desativação da operação logística do complexo Fábrica-Ferrovia, e a sua realocação para o futuro Núcleo Museológico em área da faixa de domínio da EFPP, sob a guarda da provisória da Metalplan Equipamentos Ltda. 


Ao fundo, via permanente da EFPP e reserva técnica de gôndolas preservadas e
em restauração pela Metalplan Equip. Ltda. 
O material rodante foi realocado em um novo local e com o apoio da Metalplan estão sendo conservadas já tendo recebido medidas de combate a corrosão e recuperação da pintura original.

A Metalplan trabalha em parceria com o IFPPC para criar mais um Núcleo Museológico da EFPP (KM 12), que, no âmbito do Programa “+Q2Museus”, prevê também o restauro de uma das Locomotivas do acervo para juntar-se às 20 Gondolas recuperadas,  permitindo a exposição ou Musealização do Trem Tipico da EFPP, o que deve acontecer até 2018.


Edgard Dutra da Metalplan com a família, em visita redente à EFPP - set/2016 












Gratidão aos parceiros e colaboradores!

ACABOU A “FILA DA MORTE” DA EFPP

ACABOU A "FILA DA MORTE"

Numa ação coordenada pelos associados e dirigentes do IFPPC Bonfilio Alves Ferreira, Nelson Camargo e Pericles Gallo, com o apoio da Votorantim Cimentos e da Fundação Trem Tur de Santa Catarina, foi viabilizado o fim da famosa “Fila da Morte” da EFPP, que ficou assim conhecida porque era um ramal onde foram depositadas as locomotivas sucateadas ou que permaneciam como “almoxarifado” de peças de reposição para as demais em operação. No dizer dos operários, eram “vampirizadas” pelas que ainda funcionavam.
Neste ramal, desde a década de 70 do século passado, além de 5 resquícios arqueológicos de antigas locomotivas, também jaziam em péssimo estado 4 pranchas com lastro de madeira e seus truques metálicos.
Apesar desse material ser dado como irrecuperável, desde antes do inventário do tombamento aprovado pelo CONDEPHAAT, o IFPPC celebrou Termo de Cooperação Museológica, com foco nos objetivos do Programa “+Q2Museus”, com a Fundação Trem Tur, de Rio Negrinho, Santa Catarina, com a finalidade de realização de sondagens e estudos para tentar salvar e restaurar estes itens do patrimônio arqueológico industrial do vapor, ao menos para fins de exposição estática. No caso das pranchas, estão sendo recuperadas e convertidas em carros de passageiros para atender a demanda de visitação de ambos Museus. 
Esta é a relação do material salvo e em estudos para recuperação / restauração:

  • LOCOMOTIVA, marca HOHENZOLLERN, ano de fabricação 1902, n. série 1612, Prefixo 5, rodagem 0-4-0 T;
  • LOCOMOTIVA, marca KRAUSS, ano de fabricação 1908, n. série 5980, Prefixo 6, rodagem 0-6-T;
  • LOCOMOTIVA, fabricação nº 3084, Prefixo 9;
  • LOCOMOTIVA, sem nº de fabricação identificável, Prefixo 13;
  • LOCOMOTIVA, fabricação nº 11980, Prefixo 15;
  • 04 (quatro) vagões-pranchas com lastro de madeira, sem nº de fabricação identificável;

Mais uma vez, palmas aos nossos audaciosos parceiros!!

"+Q2MUSEUS" - PROGRAMA DE PARCERIAS E CONVÊNIOS DE COOPERAÇÃO VIABILIZA O RESGATE E A RECUPERAÇÃO DO PATRIMÔNIO DA EFPP

Programa “+Q2Museus” prova ser uma boa iniciativa 

O Programa “+Q2Museus” é uma iniciativa do Instituto de Ferrovias e Preservação do Patrimônio Cultural (IFPPC) que procura incentivar parcerias com entidades e empresas com afinidade e interesse de trabalharem em rede de cooperação para o resgate, a recuperação e a musealização de acervos arqueológicos industriais ferroviários e afins, bem como estimular a inter-visitação e o fortalecimento dos Museus e demais colaboradores preservacionistas e apoiadores culturais e institucionais.

Inaugurado em meados 2014 com a celebração do Acordo de Cooperação Museológica entre o IFPPC/EFPP e o MAITEC – Museu de Arqueologia Industrial e Tecnologia de Mairiporã (Thomaz Cruz), o Programa projeta o salvamento e reconstrução da antiga Locomotiva a vapor, a nº 4 (American Locomotive Company) da antiga EFPP, que é irmã da Locomotiva nº 2, de mesmo modelo atualmente em operação na EFPP.


http://www.maitc.com.br/index.html

O acordo também vai permitir a (re)manufatura ou resgate arqueológico industrial de moldes de peças de reposição para as demais locomotivas de modelo similar, num total de 3, que estão na fila aguardando parceiros / padrinhos para o seu restauro.